28 de abr de 2011

Maior bandido vivo do Brasil -os eleitos

Eleição realizada no Blog do Xico Sá na Folhaonline


E o nosso mais honorável bandido é... Chegou a hora de saber o resultado. Justo no dia da malhação do judas.
Nada científico e apenas com auditores de botequim, o pleito levou em conta comentários espalhados por todos os posts deste blog durante o seu primeiro mês de vida. Juntou ainda a essa balaiada, alguns votos avulsos no meu twitter e facebook.
Enfim, uma fuzarca virtual à guisa de desabafo contra tudo que está ai, como vociferávamos no tempo da Ditadura.
Teve gente que votou folgadamente no mesmo personagem o quanto quis. Ora, sinal de que o desejo de elegê-lo era dos maiores. Sem regulamento, relax, a parada aqui vale pelo capital simbólico, nisso sou podre de rico e gasto por cuenta.
O cidadão e humorista greco-baiano Claudio Manoel –dá-lhe Casseta!-  deixou um voto que bole com todos os sentidos semânticos da bandidagem: "Vou no tradicional. Bandido sem metáfora, bicho ruim roots, old school: Fernandinho Beiramar”, sufragou.
Como não dispomos de um bandidômetro mais eficiente, apenas reeditamos o concurso promovido ainda em 1931 pelo antropófago Oswald de Andrade, o homem do Pau Brasil, e pronto.

Na trincheira gutenberguiana com a sua mulher Pagú, Oswald editou um dos melhores jornais que este país já leu: “O Homem do Povo”. Foi neste revolucionário papiro que lançou a eleição do maior bandido vivo. Naquela época, nobilíssimo Claudio Manoel, o bandido não-metafórico mais votado foi o Lampião.
O bom do resultado é que contemplou homens de todas as áreas –executivo público e privado, parlamento, judiciário, autarquias ludopédicas, igrejas etc. E ninguém praticamente associou as mulheres, repare que rico, a atos de bandidagem. Imaculadas ou protegidas por um certo machismo enviesado? Achei uma beleza isso tudo.
Infelizmente, devido ao feriadão ensolarado e chocolatoso com a patroa, contabilizamos somente quem atingiu a casa de uma dezena de votos –mas o que teve de autoridade provinciana ou municipal votada é brincadeira. Opa, caro Marcelo Tas, duas inomináveis criaturas sufragaram teu imanchável –sic Vicente Matheus!- currículo.    
E assim fechamos a marcha das apurações:
1)    Sarney – 263 votos
2)    Maluf – 101
3)    Ricardo Teixeira -100
4)    Serra – 66
5)    Lula – 42
6)    Daniel Dantas – 39
7)    Zé Dirceu – 35
8)    Edir Macedo – 27
9)    Collor -26
10) FHC -25
11) Kassab – 23
12) Alckmin -22
13) Gilmar Mendes -21
14) Família Roriz – 20
15) Renan Calheiros – 19
16) Jader Barbalho -17
17) Grande mídia -15
18) Roger Abdelmassih – 14
19) Fernandinho Beira-Mar – 11
20) Polícia no geral, sem distinção – 10

Nenhum comentário:

Postar um comentário