25 de mar de 2011

Ex-presidente do BC e empresários são indiciados

comentário: Arida foi presidente do Banco Central em 1995. Saiu e coordenou o banco Opportunity de Daniel Dantas na aquisição de empresas públicas. Essa era a política econômica de FHC. Presidente do BC, que tinha acesso ao planejamento governamental vira coordenador de compras subfaturadas de empresas estatais. Outro presidente do BC vira sócio de banco logo que sai do governo. Outro presidente vira dono de maior captadora de fundo de investimento. E tem gente que acha que o "rolo" era pouco. Foi o maior assalto a república já realizado. A dívida pública saltou para mais de um trilhão, foram vendidas inúmeras empresas públicas a preços irrisórios, sucatearam a indústria nacional, desestimularam o ensino público(Pra não falar que tentaram privatizá-lo) e acabaram com o trabalho científico. O pior é que tem gente que tem saudade.
Da Folhaonline

A Polícia Federal indiciou o ex-presidente do Banco Central Persio Arida em um dos inquéritos da Operação Satiagraha, por suposta prática de gestão fraudulenta, evasão de divisas e formação de quadrilha, à época em que ele foi um dos dirigentes do Opportunity Fund, do banqueiro Daniel Dantas.
Também foram indiciados sob a acusação de evasão de divisas 42 cotistas do fundo, segundo o inquérito. A Folha obteve o nome de 26 deles.

Entre os acusados estão o secretário estadual de Desenvolvimento e Promoção do Investimento do Rio Grande do Sul, Mauro Knijinik, o empresário Romeu Chap Chap, a dona da rede "Amor aos Pedaços", Silvana Abramovay Marmont, e o sócio da casa de espetáculos HSBC Brasil Gladson Tedesco.
O inquérito da PF investigou o fundo de investimentos Opportunity Fund, sediado nas Ilhas Cayman. Ele participou das privatizações de estatais ocorridas no governo de Fernando Henrique (1995-2002), quando adquiriu, entre outros ativos, a tele Brasil Telecom e o terminal de contêineres do porto de Santos.

A legislação não permite que investidores residentes no Brasil tenham recursos no fundo, pois os rendimentos das aplicações na carteira estão isentos do pagamento de Imposto de Renda.
Porém, segundo a investigação, administradores do fundo ofereceram a moradores do país a possibilidade de burlar as regras fiscais brasileiras, investindo na carteira.
De acordo com as apurações, ex-funcionários do Opportunity testemunharam que Arida coordenou as operações de captação do fundo trabalhando no escritório do Opportunity em São Paulo, e se reportava a Daniel Dantas e à irmã dele, Veronica.
O inquérito aponta que Arida foi diretor das companhias gestoras do fundo, a Opportunity Asset Management Inc. e a Opportunity Asset Management Ltda., no período de 1996 a 1999.
Arida foi presidente do Banco Central em 1995 e hoje é um dos principais sócios do executivo André Esteves no Banco BTG Pactual.
INVESTIGAÇÃO
Mais de 60 cotistas foram ouvidos pela PF, mas só aqueles que depositaram mais de US$ 100 mil na carteira foram indiciados, pois o Banco Central determina a declaração de depósitos no exterior a partir desse valor.
Segundo o inquérito, os indiciamentos ocorreram após a confissão de parcela significativa dos cotistas do Opportunity, perícias, cruzamento com informações do caso Banestado e testemunhos de doleiros e ex-funcionários do Banco Opportunity.
O inquérito foi concluído em agosto pelo delegado Milton Fornazari e foi enviado para o Ministério Público.
Cabe à Procuradora decidir se acusa formalmente os indiciados à Justiça. Se isso ocorrer e o Judiciário aceitar a denúncia, eles se tornarão réus em ação criminal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário