14 de out de 2010

Privatização da Petrobrás (um desejo do tucanato)

Nicola Pamplona, Estadão.com
O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, decidiu entrar na campanha eleitoral e divulgou nota hoje acusando o governo Fernando Henrique Cardoso de preparar a Petrobras para privatização.
A nota foi divulgada em resposta ao ex-diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), David Zylbersztajn, que contestou declarações sobre o tema feitas pela candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, no debate na TV do último domingo.
"Para o governo FHC, a Petrobras morreria por inanição. Os planos do governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso eram para desmontar a Petrobras e vendê-la", afirmou Gabrielli, no texto.
Ele cita como exemplo a "exacerbação" do conceito de unidades de negócio, no qual as unidades operacionais da companhia ficaram mais autônomas durante o governo anterior.

"A gestão posterior a 2003 modificou essa tendência, fortalecendo a engenharia da empresa e seu sistema de pesquisa e desenvolvimento, além de estimular a criação de redes temáticas, que articulam centenas de pesquisadores de dezenas de universidades e instituições de pesquisa no país", diz o texto, no qual Gabrielli acusa ainda Zylbersztajn de defender a privatização do pré-sal, sob o argumento de que defende o contrato de concessão vigente no País, ao invés da mudança para partilha como quer o governo.
"Defender o regime de concessões para o pré-sal é defender que a maior parte dos ganhos da atividade sejam apropriados pelo setor privado e nesse sentido é defender, sim, a privatização do pré-sal", concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário