28 de out de 2010

As lágrimas (sic) da imprensa argentina


Do blog do Ricardo SettiAs lágrimas de crocodilo dos dois jornalões argentinos pela morte de Kirchner

As lágrimas de crocodilo que La Nación e Clarín estão derramando em seus editoriais sobre a morte do ex-presidente Néstor Kirchner (2003-2007) podem ser explicadas como agrado à viúva, a presidente Cristina Fernández de Kirchner, que tem feito de tudo para calar a boca dos dois jornalões, críticos a seu governo.
De verdadeiro, sem dúvida, nos editoriais está a afirmação do Clarínsegundo a qual o maior desafio de Cristina, agora — além de superar a perda pessoal –, será aprender a governar sem a sombra do marido. Apesar de política experiente, como ex-deputada e ex-senadora pela província natal do marido, Santa Cruz, na Patagônia, e de ex-senadora pela província de Buenos Aires, Cristina não dava um passo sem a chancela do marido.
Leia mais sobre as lágrimas de crocodilo e as tentativas de Cristina de calar os dois grupos de mídia aqui. E se quiser ver post anterior meu, sobre o projeto autoritário do casal, confira aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário