31 de out de 2010

Califórnia vota dia 02 pela descriminalização do consumo de maconha

da Redação Yahoo! Brasil

O dia 2 de novembro poderá ficá marcado na história mundial e dar um empurrão para resolver uma discussão que se arrasta desde a década de 1960, quando a ONU classificou a maconha como uma droga perigosa. Os moradores do estado da Califórnia, Estados Unidos, votarão em plebiscito sobre a legalização da maconha para o uso recreativo. Caso a maioria vote positivo, o local poderá fazer inveja à Amsterdã, na Holanda, onde as pessoas podem fumar a droga comercializada nos famosos coffeeshops.

A Proposição 19, nome do projeto de legalização e regulamentação, será votada na mesma cédula em que os eleitores escolherão os candidatos para governo do estado, congresso e legislativo estadual - no país, cada estado tem sua própria legislação. Segundo o texto, haverá locais autorizados para a venda da droga e, inclusive, regras que limitarão os locais de consumo. Como, por exemplo, será proibido usar a maconha em lugares públicos fechados - a exemplo do que ocorre com o cigarro em São Paulo. Atualmente, no Distrito de Columbia e em 14 estados americanos o uso medicinal da erva já é autorizado.

A votação está gerando muita discussão mesmo no estado da Califórnia, conhecido mundialmente por sua cultura mais liberal - como praias que atraem turistas em busca das ondas e do calor, "Garota, eu vou para a Califórnia", até Lulu Santos cantou; suas bandas como Green Day e The Offspring; o berço do cinema, Hollywood, em Los Angeles. Os defensores da legalização e da regulamentação da maconha estimam que ambas, juntas, poderiam gerar mais de US$ 1,4 bilhão em receita fiscal para a estado. Os contrários temem, de modo geral, o acesso facilitado à droga aos jovens.

Segundo artigo publicado nesta sexta-feira (29) no jornal americano Los Angeles Times, a Proposição 19 foca a atividade da polícia realmente no combate criminalidade violenta e a atividade de gangues, livrando-a de prender simples usuários. Também entusiasmados estão os empresários do setor de café e vinhos. Uma matéria publicada no jornal The New York Times no dia 23 de outubro, afirmou que os empresários da região já estão se preparando para produzir e comercializar a droga, agarrar uma fatia do mercado que eles acreditam apresentar um grande crescimento se a medida for aprovada.

Lei alargada

Dia 30 de setembro deste ano, Arnold Schwarzenegger, ator e governador da Califórnia, assinou uma lei que torna a posse de até 283 gramas - uma onça - de maconha dentro do estado tão "séria" quanto uma infração leve de trânsito. A lei já aprovada está marcada para entrar em vigor dia primeiro de janeiro de 2011, mesmo se a população votar contra a legalização da droga. Com ela, quem for pego com a droga, deverá pagar uma multa de cem dólares - cerca de R$ 170 - e só. Nada de ver o sol nascer quadrado.

Sem transgressões, o negócio é capitalismo, mesmo. Em uma carta escrita para os membros do Senado do estado, Schwarzenegger afirmou que a medida economizará dinheiro dos tribuais estaduais. "Em tempo de cortes orçamentais drásticos, procuradores, advogados de defesa, a execução da lei e os tribunais não podem ser dar ao luxo de gastar recursos limitados para processar por um crime que leva a mesma punição que uma multa de trânsito", justificou o governador.

Apesar do plebiscito sobre a Proposição 19, Schwarzenegger escreveu na mesma carta que é contra a descriminalização da droga e seu uso recreativo. Mesmo assim, independente do resultado da votação, a Califórnia já é o estado mais liberal dos Estados Unidos com relação ao uso da maconha.
 
Fonte: Yahoo Notícias (em 29/10/2010)

Nenhum comentário:

Postar um comentário