22 de out de 2010

Dilma no RS

Ao lado de Lula, Dilma diz que é a "real continuidade" do atual governo


Candidata do PT encerrou na noite desta quinta-feira sua agenda no Estado com comício em Caxias do Sul

Em resposta às promessas do tucano José Serra de manter programas sociais, a candidata à presidência da República pelo PT, Dilma Rousseff, afirmou na noite desta quinta-feira, durante comício em Caxias do Sul, na Serra, que é a "real continuidade" do governo federal. Ao lado do presidente Lula, ela chamou de mentirosos "aqueles que afirmam que darão seguimento às políticas atuais".
Em um discurso de cerca de meia hora, acompanhado por 15 mil pessoas, segundo a organização do evento, a petista exaltou as ações do governo Lula no Rio Grande do Sul e citou várias vezes a expressão "Se Deus quiser".
 No dia 31 de dezembro, se Deus quiser, quando o presidente Lula descer a rampa do Palácio do Planalto e o nosso coração estiver apertado, já com saudade do maior presidente da história deste país, nossa alegria virá do fato de eu ser a real continuidade deste governo. Aqueles que tentam dizer que são continuidade, que vão levar adiante nossos programas, são mentirosos. Eles representam outro projeto, e não o nosso — declarou.
Acompanhado do governador eleito Tarso Genro e do ex-governador Olívio Dutra, Lula avalizou a declaração de Dilma de que é a real continuidade e ironizou as promessas de Serra.
Dilma, é com muito orgulho que você pode dizer que é continuidade de um governo que tirou 15 milhões de pessoas das trevas do século XVIII, que viam somente a lua cheia — disse Lula, ao se referir ao Programa Luz para Todos.
 Companheira, agora, com a cara mais cínica do mundo, teu adversário diz que vai dar 13° para o bolsa família, aumento para aposentado. Chega nas eleições, eles querem pegar pobrezinho no colo. A gente não pode vacilar. Não permitam que este país volte ao tempo, ao período em que o FMI (Fundo Monetário Internacional) batia aqui para dizer o que deveria ser feito — completou.
No discurso, Dilma falou sobre a agressão contra o candidato Serra no Rio de Janeiro. À tarde, em Porto Alegre, ela evitou comentar o assunto. Ao dizer que a oposição "tenta criar conflitos em cada situação", a petista declarou que o Brasil assistiu a uma bolinha de papel virar uma "arma malígna".
— Hoje, um balão cheio de água foi atirado sobre minha carreata. Eu não faço conversa fiada com bola de borracha cheia de água, eu me esquivo.
Com o fim do comício, Dilma encerrou sua agenda de campanha no Estado nesta quinta-feira. Ela embarcou para Porto Alegre, onde passará a noite, segundo informou no Twitter. O presidente Lula seguiu para Brasília.

Nenhum comentário:

Postar um comentário