21 de nov de 2010

Patos e gansos maconheiros levam criador a prisão

 Walter Fanganiello Maierovitch no Terra Magazine
Ainda não se pode falar em patê de “foie-gras” canábico.
Mas, na francesa Rochefort um famoso criador de patos e de gansos, — cujos fígados extraídos representam a matéria prima da iguaria que é o carro-chefe da cozinha francesa (“fois-gras”)–,  usava maconha na criação das suas aves.
Perante a Justiça francesa, o criador de patos e gansos disse que mantinha alguns pés de maconha para uso como vermífugo. Uma perícia mostrou que as aves estavam limpas de micróbios comuns. Para o réu-criador, “gozavam de ótima saúde e livres das bactérias comuns e nocivas a  esses bichos”.
O réu-criador, na região, goza de fama de ter os mais sadios patos e gansos para abates.
A defesa judicial apresentada não convenceu os magistrados do tribunal de Rochefort. E o criador acabou condenado a um mês de prisão fechada e a pagar multa de 500 euros. O crime foi de posse de droga proibida sem autorização. Pelo que se sabe, o réu deverá apelar da decisão. Vai insistir na tese, ou seja, uso da maconha como vermífugo natural.
O processo criminal em questão é obra do acaso.
A polícia francesa investigava um caso de furto consumado em zona rural. Os policiais passaram por fazendas, sítios e chácaras da região em busca de  alguma pista sobre a autoria e modo de operar.
Na propriedade rural do referido réu-criador os policiais toparam com 12 pés de maconha, plantados sem autorização legal. Encontraram, na posse do réu e ao lado do local de criação dos patos e dos gansos, um pacote com 5 kg de maconha.
O caso foi noticiado por toda a França via agência France-Press.
Pano Rápido. Contam os livros de culinária que o gansos ou os  patos são provocados, isto antes de abatidos para a extração dos fígados gordurosos que serão utilizados na elaboração do “foie-gras”.
Quanto mais irritadas as aves, os seus fígados  aumentam de volume, ou seja, mais patê. Como a maconha é droga que acalma e relaxa, não se sabe se o criador condenado extraía fígados volumosos. Sem micróbios, não há dúvida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário