12 de nov de 2010

Dilma critica política monetária americana

Da Folha via Blog do Noblat
Presidente eleita, no entanto, não explica quais seriam as medidas
Lula declara que está mais interessado na valorização do dólar do que na desvalorização da moeda brasileira
Fabiano Maisonnave
A presidente eleita, Dilma Rousseff, declarou ontem em Seul que a valorização do real "não é boa para o Brasil" e que tomará "todas as medidas possíveis" para contê-la, mas não detalhou seu plano.
Em meio à expectativa mundial sobre a marca que a governante deve imprimir a seu mandato, a imagem escolhida por ela para justificar seu silêncio inspirou mais dúvida que segurança.
Dilma evocou uma anedota envolvendo o premiê britânico Winston Churchill (1874-1965): "Perguntaram a ele: "Você vai fazer tal medida?". Ele fala que não. Aí ele vai, entra, toma a medida e sai. E aí os repórteres perguntam: "Mas como? Você disse que ele não ia tomar?". E ele fala: "Tem certas medidas que a gente não confessa nem para nós mesmos'".
Em sua primeira viagem internacional após a eleição, Dilma participa da cúpula do G20 ao lado do presidente Lula. "Vamos ter de olhar cuidadosamente, tomar todas as medidas possíveis [contra a valorização]", explicou ela.
A petista criticou a política monetária americana, endossando a posição de países como Alemanha e China, que classificam de desvalorização disfarçada a decisão americana de irrigar a economia com US$ 600 bilhões no próximos oito meses.

"Essa é uma questão que sempre causou problema, a política do dólar fraco faz com que o ajuste americano fique na conta das outras economias."
Por outro lado, ela minimizou a ideia de substituir o dólar por uma cesta de moedas como divisa de valor internacional, proposta na véspera pelo ministro Guido Mantega (Fazenda): disse que é somente uma das "várias posições" que serão discutidas na cúpula do G20.

Nenhum comentário:

Postar um comentário