21 de out de 2011

Tirem as crianças da sala


Por Teta Barbosa no blog Batida Salve Todos
Agora é oficial, o termo PIRIGUETE foi  incorporado ao dicionário Aurélio.
Aquele, que você levava para a escola, sabe? Aquele onde você aprendeu palavras comoparalelepípedo e inconstitucional!
Desde o lançamento da última versão do respeitado livro com os ilustres significados dos verbetes da nossa querida língua portuguesa, durante a Bienal do Livro, você poderá encontrar, entre as palavras piriforme e pirilampo, a seguinte  pérola:
Piriguete -( fem). “moça ou mulher que não tendo namorado demonstra interesse por qualquer um”.
Ou seja, na prática, é aquela  cidadã que olhou para seu namorado (independente da roupa, idade, raça ou quantidade de maquiagem.)
As “meninas” da Jaula das Gostosudas (seja lá o que isso signifique) discordam. Acham que além de cobiçar o bofe alheio, para ser uma piriguete de verdade tem que “Usar tudo bem curto, sempre. Quanto menor a roupa e com mais brilho, mais periguete a mulher é” (palavras, por incrível que pareça, de Priscila Silva, uma das Gostosudas de plantão).
Sei lá, pode parecer caretice, mas não sei se quero meu filho estudando o manual das  Piriguetes para ter que passar no vestibular.  #SouDeAntigamente
Então meninas (me refiro às moças de roupa curta e lista de namorados longa), venho propor um acordo:
Prometo não ter preconceito se vocês  assinarem um termo de responsabilidade, assumindo todo e qualquer dano, contra as mulheres a partir de agora. Tipo assim:
- Apanhou do marido, a culpa é sua!
- Seu salário é menor do que o homem que senta ao seu lado no escritório e faz a mesma função que você, a culpa é sua.
- Não te respeitam no ônibus, a culpa continua sendo sua!
- Mulher não pode assumir “função de homem”, a culpa é SUA, minha querida!
Então, gata, vai preparando tua conta bancária, porque se nosso acordo der certo, você vai ter alguns processos para responder.

Um comentário:

  1. Uma palavra pode descrever esse texto: vergonhoso.
    Vindo de uma mulher, então, nem sei mais como classificar, intragável, talvez. Enquanto uma parcela da população luta, há anos, pela consolidação e conquista de direitos para as mulheres, enquanto outras muitas saem às ruas gritando pelo fim da violência contra a mulher (a cada 5 minutos um mulher é espancada no Brasil), outras, como essa autora, vêm na contramão, resolvem voltar a década de 20.

    "Apanhou do marido, a culpa é sua" - Medo de quem escreveu isso, medo. Você presta um desserviço a sociedade. As mulheres q lutam devem agradecer a você por postergar pensamento tão intolerante, repulsivo. Quer dizer que uma mulher q anda sensual na rua é culpada por se vestir livre como quer? Ela pode se sentir desejada e os homens a desejarem, mas isso nao dá o direito a ninguém de abusá-la. Aprenda: Não é a mulher que deve aprender como se vestir para se proteger e sim o homem que deve aprender a RESPEITAR e não ABUSAR muito menos violentar!

    Tamanha aversão às "periguetes" deve ter um sentido..afinal, por que se incomoda tanto a ponto de culpabilizá-las pela violência q sofrem?(e olha q sou daquelas q não possuem uma roupa com decote)

    No mais, deixo texto a seguir.
    http://ne10.uol.com.br/coluna/o-papo-e-pop/noticia/2012/05/25/suelen-e-o-imperdoavel-orgulho-vadia-344940.php

    ResponderExcluir