12 de ago de 2009

A Garota do Café

Em um fim de semana destes assisti um Filme inglês chamado A garota do Café.

Um filme singelo, que trata de questões humanas, mesmo tendo como papel de fundo uma reunião do G8 na Islândia.

Um dos assessores do ministro das finanças da Inglaterra conhece em um café uma garota totalmente o oposto do que ele é.

Ele, um diplomata, que vê a carreira sem perspectivas, acomodado na pouca influência dos seus ideais nas decisões políticas, que tem claros problemas de relacionamento com mulheres.

Ela, Uma Jovem, que teve problemas com a justiça, e vê o mundo nas pequenas coisas.

Tudo certo para não existir qualquer relação e efetivamente não há, mas nas entrelinhas a admiração que o assessor tem pela Jovem transparece em todos os atos.

Quando da reunião do G8 na islândia ele a convida para acompanha-lo, o que ela prontamente aceita.

As cenas de divisão do mesmo quarto são sutis e até hilárias pelo constrangimento dele.

Com as discussões dos líderes se aprofundando e os impasses naturais e alguns criados se aflorando, o assessor chega no quarto sempre muito abatido e sem confiança na resolução destes.

As cenas dos jantares onde ela interpela primeiros ministros sobre questões como pobreza, perdão de dívidas de países pobres são memoráveis.

O Fim, quando o assessor é obrigado a dispensá-la por pressão de seus superiores e quando ele mesmo abandona a reunião são de uma sutileza e humanidade ímpar.

O final de lavar a alma não contarei, mas a dica continua.

PRÓS:

Um roteiro ótimo;
O ator principal interpreta de forma magistral; gestos e o jeito como ele se dirige e olha a Jovem
transparecem toda a carga emocional do personagem;
diálogos bem construídos;
O filme é excelente.

CONTRAS

Difícil achar alguma coisa que desabone o Filme, mas a delegação americana no G8 é um pouco caricata.

Nenhum comentário:

Postar um comentário