14 de ago de 2009

A Bondade do Banqueiro

O presidente do Itaú/Unibanco reclamou que as taxas praticadas pelos bancos públicos são insustentáveis.

O Banco do Brasil, com as taxas agressivas ultrapassou o Itaú e é o maior banco do país.

A reclamação do presidente do banco Itaú faz lembrar de um píada antiga:

Certa tarde, um famoso banqueiro ia para casa em sua "limusine" quando viu dois homens à beira da estrada, comendo grama. Ordenou ao seu motorista que parasse e, saindo, perguntou a um deles:

- Porque vocês estão comendo grama?
- Não temos dinheiro para comida.. - disse o pobre homem - Por isso temos que comer grama.
- Bem, então venham a minha casa e eu lhes darei de comer - disse o banqueiro.
- Obrigado, mas tenho mulher e dois filhos comigo. Estão ali, debaixo daquela árvore.
- Que venham também - disse novamente o banqueiro. E, voltando-se para o outro homem, disse-lhe:
- Você também pode vir.

O homem, com uma voz muito sumida disse:
- Mas, senhor, eu também tenho esposa e seis filhos comigo!
- Pois que venham também. - respondeu o banqueiro.

E entraram todos no enorme e luxuoso carro.
Uma vez a caminho, um dos homens olhou timidamente o banqueiro e disse:
- O senhor é muito bom. Obrigado por nos levar a todos!
O banqueiro respondeu:
- Meu caro, não tenha vergonha, fico muito feliz por fazê-lo! Vocês vão ficar encantados com a minha casa... A grama está com mais de 20 centímetros de altura!


Moral da história:
Quando você achar que um banqueiro (ou banco) está lhe ajudando ou falando que está perdendo, não se iluda, pense mais um pouco...

Nenhum comentário:

Postar um comentário