7 de nov de 2011

Venezuelano 'Carlos, o chacal' começa a ser julgado em Paris por terrorismo

Da Folha
O venezuelano Ilich Ramírez Sánchez, 62, conhecido como "Carlos, o chacal", começou a ser julgado nesta segunda-feira por um tribunal especial em Paris por quatro atos de terrorismo cometidos nos anos 1980 na França que deixaram 11 mortos e mais de 140 feridos.
Na presença de "Carlos", de 62 anos, sentado no cubículo de vidro blindado destinado aos réus, o tribunal presidido pelo juiz Olivier Laurent, iniciou o processo --que prosseguirá até 16 de dezembro-- no Palácio de Justiça de Paris.
Reuters
Ilich Ramirez Sanchez, conhecido como 'Carlos, o chacal', em fotografia de 2000
Ilich Ramirez Sanchez, conhecido como 'Carlos, o chacal', aparece em tribunal em uma fotografia de 2000
Depois de anunciar ao tribunal sua identidade, local de nascimento e idade, ao ser questionado sobre a profissão, "Carlos" se apresentou como "revolucionário de profissão".
"Carlos, o chacal" é acusado de cumplicidade no assassinato e destruição de propriedade com explosivos em quatro atentados cometidos na França em 1982 e 1983.
De acordo com a acusação, o objetivo do venezuelano era obter a libertação de dois amigos, o suíço Bruno Breguet e a alemã Magdalena Kopp, sua companheira na época, detidos em Paris e condenados a vários anos de prisão.

Nascido em Caracas e figura emblemática da década de 70 na Europa por executar operações armadas, "Carlos, o chacal", foi preso pelo serviço secreto francês no Sudão em 15 de agosto de 1994.
GREVE DE FOME
No dia 18 de outubro, após ter sido levado para uma cela isolamento na penitenciária de Santé, o venezuelano iniciou uma greve de fome, em protesto contra seu confinamento.
O advogado Francis Vuillemin considerou o isolamento do cliente uma "violação deliberada dos direitos de defesa" do venezuelano. A decisão do detento de iniciar a greve de fome veio menos de duas semanas antes do início de seu processo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário