20 de jan de 2011

A culpa é da Juíza

A mãe adentrou com ação de investigação de paternidade cumulada com alimentos na comarca onde milito.
Citado o suposto pai, foi realizada audiência conciliatória que restou inexistosa e ato contínuo foi recolhido material do pai e da criança.
Decorridos 06 meses, adveio o resultado negativo para desespero da mãe.
O Ministério Público intimou a mãe a fim de que esclarece quem era o pai da criança.
A mulher indicou outra pessoa que foi citada, seguindo após o mesmo rito, conciliatória e coleta de material.
O resultado também deu negativo. Novamente o MP entrou em contato com a mãe para esclarecer a paternidade.
Citado outro suposto pai, realizado o mesmo procedimento.
Na audiência a Juíza revelou novamente o resultado do teste: Negativo novamente.
A mãe não se conteve:
Assim não dá né Doutora, já vim três vezes aqui e vocês nunca me dizem quem é o pai!

Nenhum comentário:

Postar um comentário