7 de dez de 2011

Chávez ri de anúncio em que 'beija' Obama

Comentário: O Chávez tem mais tolerância que o Vaticano, a extrema direita e a revista Veja.


O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, riu do anúncio da Benetton em que, numa montagem, ele aparece "beijando" seu rival ideológico Barack Obama, presidente dos EUA, e disse que se trata de uma "boa piada".
A foto foi parte de uma polêmica campanha da grife italiana, que mostrava líderes políticos e religiosos se beijando na boca, sob o slogan "unhate" (algo como "desodeie").
Chávez ri da foto em que aparece dando um 'selinho' em Obama ao vê-la no IPad de um jornalista durante entrevista, em Caracas (Foto: Ariana Cubillos / AP)Chávez ri da foto em que aparece dando um 'selinho' em Obama ao vê-la no IPad de um jornalista durante entrevista, em Caracas (Foto: Ariana Cubillos / AP)
O Vaticano anunciou a decisão de processar a Benetton por causa da imagem em que o papa Bento 16 aparece beijando um imã muçulmano. Já Chávez levou o assunto na esportiva.
"Eu nem tinha visto isso! E como o Obama aparece lá? Com os olhos fechados, como que inspirado?", brincou Chávez ao ser questionado por jornalistas sobre o assunto, e antes de ver a imagem.
"Caramba, é um selinho! Eu também estou com os olhos fechados", gargalhou ele ao ver a foto. "Zoam comigo o tempo todo, mas não faço nada (...). Minha tendência pessoal e espiritual é rir de mim mesmo. Foi uma boa piada." (Clique para ver o vídeo, em espanhol).
A Benetton, que cedeu à pressão para retirar a imagem do papa, disse que a intenção da campanha era combater a cultura do ódio. A empresa é famosa por suas publicidades polêmicas.

Beijo simulado em fotomontagem entre o presidente dos EUA, Barack Obama, e da Venezuela, Hugo Chávez. (Foto: Divulgação)Beijo simulado em fotomontagem entre o presidente dos EUA, Barack Obama, e da Venezuela, Hugo Chávez. (Foto: Divulgação)
Ainda em tom de brincadeira, Chávez disse que espera alguma recompensa por sua tolerância. "Pelo menos uma gravatinha vão me mandar, nem que seja uma gravatinha, mas de Natal", disse o líder socialista. "Faço um reconhecimento ao publicitário, acho que é uma boa piada", acrescentou.
Logo depois da posse de Obama, Chávez se encontrou com ele e lhe deu um livro. Mas as esperanças de reaproximação entre Caracas e Washington rapidamente desapareceram, e as relações entre os dois países continuam péssimas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário